sábado, 21 de junho de 2008

Procura-se imortal

Está aberta oficialmente a dança das cadeiras. Não é fácil vencê-la. Nunca uma vaga na Academia Brasileira de Letras foi tão cobiçada. Desde a morte de Zélia Gattai, em maio, aos 91 anos, a disputa pelo assento 23 da instituição está acirrada, com um número recorde de candidatos. A uma semana do fim das inscrições, 20 escritores já oficializaram a intenção de ocupar a cadeira emblemática, que pertenceu a Machado de Assis, o primeiro presidente da casa. A eleição, prevista para 21 de agosto, é uma incógnita: não há favoritos neste momento e os apoios estão fragmentados. "Estou muito satisfeito com o alto número de pretendentes", exulta o presidente Cícero Sandroni. "Isso comprova o prestígio da nossa instituição. Além do prestígio da Academia nos últimos anos, outros fatores podem ter contribuído para inflacionar as candidaturas. "Há muito tempo que não se abria uma vaga e os pretendentes se acumularam", avalia a pesquisadora cearense Isabel Lustosa, autora de História dos escravos, e uma das candidatas lançadas oficialmente à cadeira.
Jornal do Brasil - 15/06/2008 - por Bolívar Torres

Um comentário:

Maria Cristina disse...

Oi Denise!
Passei aqui para deixar a minha contribuição.
Nossa! Fiquei encantada com o trabalho de vocês! Quanto talento, boa vontade e criatividade!As revistas ficaram belíssimas estética e conteúdo)
Vocês, alunos, demonstraram que são capazes, basta querer.E é claro,com uma mediadora extraordinária ao lado!!!!!
HUMM! Vão dá o que falar!!!
Profª Maria Cristina