quarta-feira, 14 de abril de 2010

PORTUGUÊS NA AULA DE INGLÊS

A aula é de inglês, mas só se fala em português. As turmas são grandes demais, o professor é mal preparado e todos ficam desmotivados. A situação foi constatada em um estudo de caso feito por uma professora da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) no interior do Estado, mas a mesma combinação se repete em aulas de inglês de diversos colégios. A pesquisa, dissertação de mestrado de Ana Lúcia Ducatti, não traz conclusões gerais sobre como está o ensino da língua inglesa nas escolas, mas traça um retrato preocupante dos problemas enfrentados em sala. Ela analisou 20 aulas de uma professora da rede municipal de São José do Rio Preto com mais de dez anos de experiência. Formada em Letras, Maria (nome fictício) não pode ser identificada por razões éticas. O estudo mostrou que o ensino é focado na gramática e não no uso do idioma. A oralidade em inglês é ausente. 
O Estado de S. Paulo - 12/04/2010 - Por Luciana Alvarez

Um comentário:

Ilau disse...

Infelismente, esse é um problema muito presente no ensino de Língua Estrangeira, especialmente em inglês, que é sobre o que fala a postagem. Esse é um dos grandes motivos pelo qual muitos alunos chegam a faculdade de inglês tendo conhecimento apenas da parte gramatical, e muitas vezes, nem isso. O uso da segunda língua, de forma q a língua materna seje utilizada poucas vezes, ajudaria muito o aluno para que este não tenha receio ao falar ou ler, além disso, com tantos métodos novos, como "data show", músicas,imagens, textos descontraidos, prenderiam muito mais a tenção do aprendiz, do que dando ênfase apenas a parte gramatical, assim, haveria a possibilidade do ensino ser na língua alvo e tanto o professor quanto o aluno sairem satisfeitos do trabalho feito por cada um em sala de aula ou fora dela.